Artigos

Reitor do Santuário apela à fraternidade e à esperança dos cristãos

monsenhor augusto cabral1Monsenhor Augusto Cabral, guardião da Imagem e tesouro do Senhor Santo Cristo, espera que no momento actual em que vivemos a fé e a religiosidade sejam um estímulo para ultrapassar as diversas dificuldades. Neste sentido, para a edição das festas deste ano, avança ao Diário dos Açores que o objectivo é “fazer um encontro de esperança para as pessoas, para as famílias e para as nossas comunidades” porque é preciso “motivar e renovar as energias de toda a gente”

 

 

 

 

»» LER MAIS na versão impressa

Luso-descendente retrata emigração açoriana em série documental

Nelson Ponta-GarçaActualmente, cerca de 90% da população portuguesa a viver na Califórnia, nos Estados Unidos da América, é de origem açoriana. Muitos destes emigrantes têm vindo a ocupar papéis de relevo em várias áreas, desde a pesca e a agricultura, à política e negócios. Num documentário de nove episódios, o luso-descendente Nelson Ponta-Garça retrata o contributo destes emigrantes para o estado norte-americano, fazendo uma comparação entre a emigração actual e a que teve início no século XIX.

 

Portuguese in California é como se intitula a série documental produzida pelo luso-descendente Nelson Ponta-Garça, que retrata o contributo da emigração portuguesa, maioritariamente açoriana, para o Estado da Califórnia, nos Estados Unidos da América (EUA).
O povo português chegou à Califórnia há mais de cem anos e, desde então, tem vindo a desempenhar papéis importantes em váriás áreas, como a pesca, agricultura, arte, política e tecnologia, bem como no mundo dos negócios.
Hoje, cerca de 90% da população portuguesa na Califórnia é de descendência açoriana. Foi neste sentido que Nelson Ponta-Garça promoveu a série. O projecto, desenvolvido durante quase três anos, é o resultado final de 130 entrevistas, que narram em detalhe experiências pessoais de emigrantes e descendentes de emigrantes. Em entrevista ao Diário dos Açores, o jovem produtor faz uma comparação entre a emigração do século XX e a de hoje em dia.
“Não há duas emigrações: os ‘pobrezinhos’ - fins do século XIX e princípio do século XX, e décadas de 1960/70/80 - e os novos ‘especializados’, que hoje saem de Portugal.  Para mim, são todos iguais”, defende, realçando que foram os “‘pobrezinhos’ da nossa emigração do século XIX e XX que deram o bom nome que Portugal hoje goza na Califórnia, nos Estados Unidos”.
“O documentário é mais do que claro que a audácia e mostra que a força de vontade destes emigrantes, fez com que hoje a nossa comunidade, embora despercebida, nutra pela parte das entidades americanas um grande respeito”, realça. Ponta-Garça afirma ainda que “numa altura em que Portugal atravessa um momento menos bom, esta será uma forma das audiências acompanharem casos de sucesso na Califórnia e talvez ganharem inspiração para transcender a realidade actual”, sublinha.
O documentário bilingue é constituído por nove episódios, começando com “Coming to America”, seguido do segundo segmento, “The early days in California”, e os restantes seis, a abordar histórias de emigrantes que alcançaram o sucesso naquele estado.
“A título de exemplo, temos intervenções de indivíduos na área da tecnologia, com a Google, Cisco, Skype, Microsoft; na área da agropecuária, com o maior produtor batata doce biológica e o maior produtor de leite do mundo, entre outros comendadores reconhecidos. Em relação a Hollywood, abordamos também estrelas mundiais com descendência portuguesa. Em Sacramento, políticos com poder de movimentar biliões, como Jim Costa e Devin Nunes. Entrevistamos também os produtores de vinho de Napa, pescadores milionários de San Diego, entre outros”, revela o produtor.
Nelson Ponta-Garça dividiu o trabalho em diferentes secções geográficas do estado, onde a presença açoriana “é mais significativa”, como San Diego, Los Angeles, Bay Area, Sacramento, entre outras.
A ideia para a realização do filme surgiu há alguns anos, depois do actual Presidente da Repúplica, Aníbal Cavaco Silva, se ter deslocado em visita ao Estado da Califórnia, nos EUA. A empresa de produção de áudio-visuais de Nelson Ponta-Garça, a NPG, produziu um vídeo, com segmentos sobre a realidade vivida na Califórnia, para ser exibido à comitiva presidencial e as reacções foram positivas. “Todos mostraram muito interesse em que se aprofundasse este trabalho. E assim se fez”, disse o luso-descendente.
O jovem optou por tratar a temática da emigração açoriana ao verificar que existiam registos “extremamente relevantes” da história das comunidades portuguesas na Califórnia em livros, revistas, jornais e também em produções radiofónicas, mas não em formato de documentário. “Pouco se tem feito na produção videográfica, que é, indubitavelmente, uma das mais marcantes para as novas gerações. Mas isto mudou com a apresentação de Portuguese in California”, afirmou.
O documentário, produzido pela Azores TV e pela NPG Productions, já teve a sua estreia em San Jose, no dia 27 de Abril.  “Foi uma noite em ambiente Hollywood, numa noite de Óscares.  Houve música, testemunhos, fraternidade e, acima de tudo, viu-se a estreia do primeiro episódio e excertos de outros. Uma estreia que deu que falar pela positiva e esgotou o salão de San Jose”, relatou Ponta-Garça.
Todo o projecto foi desenvolvido com um orçamento de 100 mil dólares, tendo contado com o apoio de dois “grandes nomes” do meio da produção audiovisual, Fernando Fragata e Sandra Menino.
Portuguese in California será ainda apresentado em outras cidades e, posteriormente, lançado em DVD e em televisões internacionais. Nos Açores, ainda não há data para a sua apresentação.
Nascido em San Jose, na Califórnia, Nelson Ponta Garça cresceu na ilha de São Jorge, voltando depois para os Estados Unidos. onde criou a produtora NPG.

Por: Alexandra Narciso

Menina de três anos precisa urgentemente de um dador de medula óssea

Margarida - aplasia medularMargarida, uma menina de três anos, foi diagnosticada, no passado mês de Dezembro, com aplasia medular, uma doença caracterizada pela deficiência medular, cujo tratamento mais eficaz é o transplante de medula óssea.
Natural da ilha de Santa Maria, Margarida já está há três meses em São Miguel com a sua mãe, longe do pai e dos dois irmãos.
Em declarações ao Diário dos Açores, Ivone Arruda, mãe da menina, começa por nos contar como começaram os sintomas desta doença. Em Outubro, a Margarida estava com “muita diarreia que não passava e umas manchinhas negras nas pernas”, o que chamou a atenção dos pais por ser “uma menina muito tranquila e não ter brincadeiras que a fizessem cair”. A menina fez, então, análises no Centro de Saúde de Santa Maria, onde foram detectados valores baixos nas plaquetas. Nesse mesmo dia, veio para São Miguel, onde ficou internada, e só dois meses mais tarde, numa deslocação a Lisboa, onde fez um medulograma,  se teve a certeza do que se passava. Na altura, “foi um choque”, relembra.
Devido ao agravamento da doença, esta menina precisa urgentemente de um transplante, pois a família não é compatível e, embora já esteja referenciada na lista de dadores de medula óssea Nacional e Europeu, ainda não há notícias de compatibilidade.
Neste sentido, Ivone Arruda apela a todos para que sejamos dadores e solidários. “Quantos mais dadores, mais possibilidades para a Margarida”. “Sabemos que o doar sangue é um acto cívico”, refere, salientando que “há muitas Margaridas que precisam de ajuda e a cura pode estar em cada um de nós”.
Este apelo, que na rede social Facebook já tem mais de 30 mil partilhas, começou a ser feito na ilha de Santa Maria. “As pessoas foram incansáveis. Arranjamos mais de 500 pessoas em Santa Maria”, afirma esperançosa. Em breve começarão as recolhas.
Ivone Arruda diz também que desconhecia essa doença, caracterizada pela disfunção da medula óssea, mencionado que é diferente da leucemia.
A medula do osso é responsável pela produção dos componentes sanguíneos (hemácias, plaquetas e  leucócitos) e “a Margarida está a deixar de produzir isso muito rapidamente, por isso precisamos urgentemente de um dador”.
Os principais sintomas dessa doença são: anemia, devido ao baixo número de hemácias; infecções contínuas, devido ao baixo número de leucócitos; e sangramento de mucosas, devido ao baixo número de plaquetas.
“Têm sido tempos muito difíceis”, refere, acrescentando que a família está a pensar mudar-se para São Miguel e que os outros filhos, um menino com 12 anos e uma menina de cinco, compreendem a situação da irmã.
De momento, a Margarida não está internada, mas “andamos sempre com o coração nas mãos porque se cai ou se faz um hematoma temos de ir com ela imediatamente para o hospital”, finaliza.
Para se ser dador, basta inscrever-se no Serviço de Hematologia do Hospital de Ponta Delgada, ou através do site do Centro de Histocompatibilidade do Sul e imprimir o inquérito (ou fazer download do mesmo), preenchê-lo e enviá-lo pelo correio para o CHSul ou para o e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. . Posteriomente, as pessoas serão contactadas.

Ervanária “Mercado das Ervas” esgota stock de chás para a próstata devido à elevada procura

Ana Paula Mendonça - mercado das ervasUma elevada procura de chás medicinais para a próstata, na ervanária “Mercado das Ervas”, em Ponta Delgada, provocou uma ruptura no stock nacional do seu fornecedor. Ana Paula Mendonça, gerente da loja, confessa, em declarações ao Diário dos Açores, que este fenómeno a surpreendeu, o que a leva a crer que esta doença se tem manifestado mais ultimamente ou que os homens se estão a prevenir deste problema

 

Nos últimos tempos tem-se assistido a uma grande procura de chás medicinais para a próstata, ao ponto da ervanária “Mercado das Ervas”, em Ponta Delgada, ter esgotado o stock nacional do seu fornecedor. Quem nos diz é Ana Paula Mendonça, gerente da loja, sublinhando que ficou extremamente surpreendida com esse fenómeno. 
“Houve uma grande subida da procura do chá para a próstata, o que resultou na ruptura do nosso próprio stock, mesmo a nível nacional – o nosso fornecedor esgotou este chá. Ao início foi uma surpresa porque não sabíamos o que se estava a passar, mas concluímos que essa patologia se está a manifestar mais ultimamente ou, então, os homens estão a prevenir-se desse problema. É preciso não esquecer que nós trabalhamos a prevenção. Não a causa”, afirma, em declarações ao Diário dos Açores.
Contudo, há outros chás que, de igual modo, são muito procurados pelos açorianos. Com a chegada do verão, os de emagrecimento esvaziam prateleiras e são, sobretudo, as mulheres que entram nesta loja, muitas vezes para comprarem produtos para os maridos ou para os filhos.
Para além de uma grande variedade de produtos naturais na área da alimentação, “todos eles dietéticos e integrais”, a “Mercado das Ervas” também disponibiliza suplementos alimentares e produtos na área da cosmética. “Podem ser ervas, todas elas sem químicos, ou outra substância, desde champôs e sabonetes”, refere.
Entre as várias vantagens que temos ao recorrer a este tipo de produto, o principal benefício é não provocar dependência. “Efectivamente, esta é uma das mais-valias. Os produtos naturais, designados por suplementos alimentares, não geram habituação. Não criam vício como um químico”, diz,  alertando que “o melhor é nós nos precavermos, fazermos de vez em quando uma desintoxicação, tomarmos um antioxidante, limparmos o nosso organismo e libertar as toxinas, para que possamos estar bem connosco e com o nosso meio envolvente. A prevenção é, sem dúvida, uma grande ajuda para se precaver de qualquer tipo de patologia que no futuro possa aparecer”.
A gerente da loja, que este ano comemora 57 anos de actividade no mercado açoriano, nota também que, no geral, as pessoas estão mais preocupadas com a saúde. “Há uma maior consciencialização de que a saúde é importante na nossa vida” afirma, acrescentando que pessoas de todas as faixas etárias procuram esta ervanária, desde os adolescentes aos mais idosos.
Por outro lado, Ana Paula Mendonça lamenta que os produtos naturais não sejam comparticipados, admitindo que não compreende, por exemplo, porque é que “nós estamos associados à Secretaria da Agricultura e não à pasta da Saúde, pois acreditamos que as nossas medicinas, denominadas por complementares, podem abraçar a outra medicina”.

Menos 40% de vendas
Desde que se instalou a crise económica em Portugal, esta loja, à semelhança de muitas outras, ressentiu-se com as dificuldades. “Desde 2010 as coisas têm-nos preocupado. Fomos deparados com um buraco financeiro no país, depois de todos estes anos em que tivemos a investir e a cumprir com as nossas responsabilidades para com o Estado. Isso fez com que o nosso alvo, o nosso nicho, fosse afectado. As nossas vendas desceram imenso, à volta de 40%, e claro que, para uma pequena empresa como a nossa, foi assustador. Costumo dizer que nós não vendemos o leite, não vendemos a carne. Vendemos uma área muito especial e um produto que não é para qualquer pessoa. Vendemos para uma pessoa sensível e que acredite que aquele produto é bom para a sua saúde”. Além disso, é preciso salientar que o “nosso cliente há uns anos atrás entrava na loja e dizia ‘eu quero um medicamento para os diabetes’, mas hoje em dia, por vezes, diz ‘eu quero um produto com o princípio activo ou com L-Carnitina. Está muito mais informado”.
Comparativamente ao ano passado, as vendas da  “Mercado das Ervas” estão melhores. “Já estamos a ver significativamente uma certa movimentação nas nossas vendas”, afirma, lamentanto, por outro lado, a subida do IVA, porque vai afectar os clientes. “Ou seja, quando começamos a ter uma luz ao fundo do túnel, começamos a ver, novamente, mais uma austeridade, o que nos faz pensar se realmente não vamos viver novamente numa ditadura”, condena.

Feira do Santo Cristo
Pela primeira vez, a “Mercado das Ervas” vai participar na Feira de Actividades Económicas, durante as festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Ana Paula Mendonça tem expectativas bastante elevadas para este evento porque ainda acredita que há “muita gente que nos desconhece por não ter nenhum interesse pelo produto natural e é importante mostrarmos às pessoas que existimos neste território açoriano. Creio que vamos fazer uma boa prestação. Já demos provas da nossa credibilidade e claro que não podíamos deixar de ter essa aventura, mas com peso e medida e com os pés assentes no chão, porque precisamos de dinamizar as nossas vendas e de marcar a nossa posição”. 
Neste sentido, a gerente da loja agradece aos clientes por terem depositado confiança na “Mercado das Ervas” durante todos estes anos, finalizando que “se nós existimos, é porque os nossos clientes existem e querem que permaneçamos aqui por  muito mais tempo”.

Bispo de Hamilton, na Bermuda, participa nas festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres

Senhor-Santo-Cristo-dos-MilagresO Bispo da Diocese de Hamilton, na Bermuda, D. Robert Joseph Kurtz, vai participar, este ano, nas festividades religiosas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres.
Segundo revelou a Irmandade das festas, D. Robert Joseph Kurtz “tem estabelecido laços de muita proximidade com a comunidade açoriana residente na Bermuda, sendo esta a primeira vez que participa nas maiores festas religiosas dos Açores”.
O prelado nasceu na cidade de Chicago, no estado norte-americano do Illinois, no ano de 1939. Frequentou o Seminário de St. John Cantius e a Universidade de St Louis especializando-se em Língua e Literatura Espanhola.
Foi nomeado para a Diocese de Hamilton em Junho de 1995 e ordenado Bispo, em Setembro do mesmo ano, na Catedral de St Theresa, na Bermuda.
Desde o ano de 2009, que desempenha o cargo de vice-presidente da Conferência Episcopal das Antilhas.
No mesmo comunicado, a organização das festas revela que serão 23 as filarmónicas da ilha de São Miguel que vão incorporar a próximasProcissão em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que se realiza a 25 de maio.
O programa das festividades abre com a inauguração da iluminação decorativa da fachada do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres e do Campo de São Francisco, estando a cargo da Filarmónica Aliança dos Prazeres, do Pico da Pedra a execução do Hino do Senhor Santo Cristo, ao que se seguirá o desfile da Charanga dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada. O concerto dessa sexta-feira será dado pela Filarmónica Aliança dos Prazeres.
No sábado, a Procissão da Mudança será acompanhada pela Banda Filarmónica Minerva, dos Ginetes, estando em programa, a actuação da Orquestra de Violas da Terra e um concerto pela Banda Harmonia Mosteirense.
No domingo, o concerto no arraial do Campo de São Francisco será levado a cabo pela Filarmónica Nossa Senhora dos Remédios, da Bretanha.
Este ano, volta a acontecer a transmissão directa dos momentos “mais significativos” da festa no seu portal online, de modo a ir ao encontro “do desejo de milhares de açorianos residentes em várias comunidades espalhadas pelo Mundo”, afirma a Irmandade das Festas do Senhor Santo Cristo.
A emissão em directo da inauguração da iluminação decorativa do Santuário da Esperança, no dia 23 de Maio, bem como da Procissão da Mudança, no sábado, dia 24, da Solene Concelebração Eucarística e da saída e do recolher da Veneranda Imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, no domingo, dia 25, poderão ser vistas no endereço online www.santo-cristo.com.