Artigos

“Condenada” Alameda dos Plátanos ilustra tour dos Açores escolhido pela National Geographic Traveller...

alamedaA revista National Geographic Traveller atribuiu ao roteiro “Portugal: The Azores”, da agência Country Walkers, uma das escolhas da iniciativa “50 Tours of a lifetime” (“50 percursos de uma vida”). Uma das curiosidades desta atribuição é que a fotografia que é utilizada para ilustrar a este pacote no site oficial da Country Walkers é a Alameda dos Plátanos, que ficou famosa recentemente por ter sido alvo de um projecto que visava a sua descaraterização – uma iniciativa que entretanto foi suspensa pelo próprio presidente do Governo, depois da polémica que gerou na comunicação social.
O tour da Country Walkers tem uma duração de 7 dias e visita as ilhas de S. Miguel, Faial e Pico, tendo um custo de 4 mil dólares (cerca de 3.100 euros). A Country Walkers é uma agência especializada em passeios a pé.
A descrição do percurso é assim:
“Neste arquipélago mágico no meio do Atlântico, irá explorar 3 de uma cadeia de 9 ilhas encantadoras e descobrir um paraíso preservado de vistas fantásticas, plantas raras, fenómenos geotérmicos e grande riqueza de história marítima. Em S. Miguel seguirá os restos de um vulcão extinto com as famosas lagoas Verde e Azul. Trilhos florestais através de gigantestas acácias, conteiras e hortênsias, chegam a uma reserva de pássaros e um refrescante mergulho na cascata do Salto do Prego.
Na lagoa das Furnas, fumarolas rodeiam um jardim botânico do século XVIII e a freguesia das Furnas, onde provará o tradicional cozido. Na Horta juntar-se-á com marinheiros para tomar uma bebida e irá de barco para a ilha do Pico, cuja montanha é uma das maravilhas de Portugal. Explorará as Lajes do Pico, uma antiga aldeia de baleeiros desde 1460, e descobrirá as vinha protegidas pela UNESCO, provará o vinho verdelho, queijos locais e mariscos.”

Apreendidas 49 plantas de cannabis em S. Jorge e Pico

pspA PSP/Açores anunciou ontem a apreensão de 49 plantas de ‘cannabis’, das quais 17 em S. Jorge e as restantes no Pico, onde foi detido um jovem de 21 anos por suspeita de cultivo e tráfico de droga.
O homem, natural e residente no concelho de Lajes do Pico, tinha em sua posse 32 plantas de Cannabis Sativa-L, cujo peso total perfaz o equivalente a 414 doses de produto estupefaciente.
Na Calheta, em S. Jorge, foram apreendidas 17 plantas com um peso “entre 360 gramas e 500 gramas”, com uma altura entre 40 centímetros e um metro, revelou a PSP em comunicado de imprensa.       

PS denuncia salários em atraso na Universidade dos Açores

univerirsidade aoresO PS denunciou ontem na Assembleia Legislativa dos Açores existência de salários em atraso na Universidade dos Açores, referindo que existem “colaboradores contratados a recibo verde que não recebem há mais de três meses”.
“Existem dezenas de colaboradores da universidade, nomeadamente no corpo docente, contratados a recibo verde, que não recebem há mais de três meses”, afirmou o deputado regional socialista José San-Bento, salientando que esta situação reflete o “abandono” a que o Governo da República votou a Universidade dos Açores.
Para o vice-presidente da bancada parlamentar do PS/Açores, “é uma injustiça que a Universidade dos Açores não seja financiada pela qualidade da sua investigação e que seja sobretudo financiada pelo número de alunos”, defendendo ainda a necessidade de ser “devidamente considerada a tripolaridade” da academia açoriana, que se distribui pelos pólos de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta.
Contactado pela Lusa, Jorge Medeiros, reitor da Universidade dos Açores, confirmou a existência de atrasos no pagamento de “docências em prestação de serviço”, mas garantiu que “os salários dos professores do quadro e dos docentes convidados estão todos em dia”.
“Podem existir algumas prestações de serviço à hora lectiva em atraso devido a dificuldades de tesouraria que a Universidade atravessa”, afirmou Jorge Medeiros, que não especificou os valores em causa, nem o número de professores afectados por este problema.
O reitor admitiu, no entanto, que estes atrasos “devem estar a atingir os três meses”.
Jorge Medeiros assegurou que a situação ficará regularizada “em breve”, estimando que essa normalização possa ocorrer “dentro de um mês, com base nas receitas e na transferência do Orçamento de Estado”.

Natércia Gaspar garante que é prioridade do Governo assegurar “serviços de qualidade”

 A Directora Regional da Solidariedade e Segurança Social, Natércia Gaspar, afirmou ontem que a “prestação de serviços com elevada qualidade, por parte das respostas sociais, enquanto garantia da satisfação dos seus clientes”, é uma das principais prioridades do Governo Regional.
Segundo nota de imprensa emitida pelo Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GaCS), Natércia Gaspar acrescentou, o executivo açoriano tem investido na melhoria contínua dos serviços prestados, estruturando, nos últimos anos, em parceria com as instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e misericórdias, mais de 750 serviços e respostas diferenciados e especializados nas diferentes áreas de intervenção social.
“Apoiámos a construção de novos equipamentos, a reabilitação de antigos, dotámos as instituições de recursos humanos com vista à humanização dos serviços e à implementação de acções e estratégias inovadoras e criativas que sustentassem a qualidade do serviço prestado pelas respostas sociais”, frisou a Directora Regional, destacando que actualmente dos mais de quatro mil trabalhadores das IPSS, 529 têm formação superior.
A Directora Regional da Solidariedade e Segurança Social falava durante a sessão de abertura do seminário: “A Certificação de Respostas Sociais”, na Praia da Vitória.
Natércia Gaspar aproveitou a ocasião para enaltecer as instituições nos Açores que têm vindo a apostar na certificação da qualidade dos seus serviços, considerando mesmo de “um exercício de auto-avaliação e auto-conhecimento que pode potenciar uma maior eficácia e eficiência na actividade das entidades que prestam serviços neste sector, mas também e mais importante, o facto de materializar um direito fundamental dos cidadãos, em geral, e dos clientes destes serviços, em particular, que é o de terem qualidade no serviço que lhes é prestado”.

Areal na Paria da Graciosa em conformidade

graciosaTal como acontece todos os anos, o areal da Praia na ilha Graciosa foi limpo e reposto pelo Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar. Os trabalhos, concluídos terça-feira, incluíram a remoção de algas e a reposição do areal. Desta forma, a Praia está pronta para começar a receber banhistas muito antes do início da época balnear, que nesta ilha ocorrerá no dia 1 de Julho.
Estes trabalhos foram coordenados pelo Serviço de Ambiente da Graciosa e permitirão uma utilização adequada daquela excelente área balnear. A razão essencial que condiciona a realização destes trabalhos relaciona-se com a tentativa de precaver um novo arrojamento de algas ou a remoção das areias por condicionantes oceanográficas. É por esta razão que a atividade se desenrola tão perto quanto possível do início da época balnear e, ao mesmo tempo, permitindo algum alargamento do período de usufruto.