Artigos

Dia da Madeira celebrado nos Açores

FunchalA Casa da Madeira nos Açores (CMA), no ano em que se comemora os 600 anos do descobrimento da Ilha da Madeira, vai desenvolver iniciativas para assinalar a data e celebrar o Dia da Madeira e das Comunidades Madeirenses.

As celebrações iniciam-se com o jantar do 43º aniversário da Região Autónoma da Madeira e das Comunidades Madeirenses, que terá lugar no dia 28 de Junho, a decorrer na freguesia de São Sebastião nos Bairros Novos, em Ponta Delgada, contando com um tributo musical ao Max. 

Segue-se a conferência “Um Canto à Ilha”, que se realizará no dia 1 de Julho, pelas 18 horas, na Sala Gaspar Frutuoso, na Sede da CMA, em Ponta Delgada, proferida por Graça Alves, do Centro de Estudos de História do Atlântico. 

A encerrar as festividades, no dia 6 de Julho, pelas 21 horas, haverá o concerto da Orquestra de Ponteado da Associação Madeirense Xarabanda, no Museu Vivo do Franciscanismo, na Ribeira Grande.

 

Detido suspeito de abusar sexualmente de menino de 7 anos

PJ cracháUm homem de 33 anos de idade foi detido em Ponta Delgada pela “presumível prática do crime de abuso sexual de criança, de que foi vítima um menino de sete anos de idade”.

A detenção foi efectuada pela Polícia Judiciária (PJ), através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada, no âmbito de uma investigação.

“Os abusos ocorreram no início do corrente mês, no concelho de Ponta Delgada, num terreno agrícola sito nas proximidades da residência do suspeito, que é vizinho da criança, e de cuja situação se aproveitou para a molestar sexualmente”, refere a PJ.

O detido, com antecedentes criminais, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida coactiva de prisão preventiva.

Joel Neto apresenta hoje o seu mais recente livro em Ponta Delgada

A vida no campo - II volumeAs cidades de Ponta Delgada e Angra do Heroísmo são as anfitriãs dos dois últimos lançamentos de A Vida no Campo: Os Anos da Maturidade, o mais recente livro de Joel Neto.

Segundo volume do diário A Vida no Campo, a obra já passou por cidades como Lisboa, Braga, Porto, Coimbra e Vila Franca de Xira. Além dos lançamentos, foi alvo de seis sessões na Feira do Livro de Lisboa e de apresentações em várias escolas, universidades de terceira idade e programas de rádio.

“É um livro onde as pessoas têm nome, as árvores têm nome, os animais têm nome”, destacou Pedro Mexia, apresentador oficial, no lançamento nacional. “Um livro onde se vai ao funeral dos vizinhos. Um livro de uma sensibilidade muito particular, que nós já não conhecemos nas grandes cidades. Sem paternalismos em relação aos locais e também, quanto aos forasteiros, sem aquilo a que os ingleses chamam de inverted snobbery”, acrescentou.

O primeiro dos dois lançamentos açorianos ocorre hoje em Ponta Delgada, às 18h30, na Livraria Leya-Solmar. Será o próprio Joel Neto a encarregar-se da apresentação da obra. De passagem pela ilha de São Miguel, o autor aproveitará para visitar hoje a escolas Básica e Secundária Dr. Armando Côrtes-Rodrigues, em Vila Franca do Campo, e, amanhã, a Escola Básica Integrada da Maia, na Ribeira Grande.

A Vida no Campo: Os Anos da Maturidade vê encerrada a digressão nacional de lançamento em Angra do Heroísmo, em sessão marcada para o Museu de Angra do Heroísmo e com apresentação a cargo do Grupo de Teatro A Sala. O evento está marcado para a próxima Sexta-feira, 14 de Junho, com início às 21h00.

Mais de 230 quilos de lapas apreendidos nas Velas tinham como destino S. Miguel

Lapas apreendidas em S. Jorge

A GNR apreendeu na ilha de São Jorge, na última Segunda-feira, 10 de Junho, 232 quilos de lapa brava (Patella Aspera), com o valor presumível de 2 320 euros.

De acordo com o comunicado divulgado pela GNR, a apreensão resultou de uma denúncia: “no âmbito de uma denúncia por transporte de univalves com intuito de fuga à lota, os militares fiscalizaram um homem, de 62 anos, que estava prestes a embarcar uma viatura de mercadorias num navio de passageiros, com destino à ilha de São Miguel. Na viatura, o indivíduo transportava uma arca congeladora com as referidas lapas congeladas, sendo que o infractor não possuía licença para a captura desta espécie”, lê-se.

Ao homem em causa, foi elaborado o respectivo auto de contraordenação por fuga à lota e por falta de licença de apanha de lapas válida, infracções estas “puníveis com uma coima até 3 740 euros”. Segundo frisam as autoridades, “a venda do pescado em lota garante a rastreabilidade, assegura a salubridade e a não adulteração dos produtos da pesca, promove a confiança no consumidor e a qualidade e valorização do pescado, contribuindo, assim, para o aumento do rendimento dos pescadores e simultaneamente para a boa gestão dos recursos”.

 

Prisão preventiva para tripulantes do veleiro que transportava cocaína

PJ cracháFicaram em prisão preventiva, por se considerar haver perigo de fuga, os três indivíduos detidos pela Polícia Judiciária, na passada Quinta-feira, 30 de Maio, na sequência da apreensão de quase 600 quilos de cocaína a bordo de um veleiro, na marina da Horta, no Faial.

O veleiro era proveniente de San Martin, nas Caraíbas, e os três tripulantes estrangeiros detidos foram ouvidos em interrogatório no Sábado, dia 1 de Junho, segundo foi avançado num comunicado emitido pelo Tribunal da Comarca dos Açores. 

“Foram presentes ao juiz de instrução criminal da Horta, para interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coacção, três indivíduos, detidos pela Polícia Judiciária, tripulantes da referida embarcação, sendo um de nacionalidade montenegrina, outro de nacionalidade croata e outro de nacionalidade britânica, porquanto na referida busca foram apreendidos 592,900 kg de cocaína, sendo os detidos suspeitos da prática de crimes de associação criminosa e de tráfico agravado de substâncias estupefacientes”, lê-se no comunicado enviado ontem às redacções.

O interrogatório judicial decorreu com auxílio de intérprete e teve início “pelas 10h30” de Sábado, prosseguiu “durante todo o dia até às 20h18, continuando no dia seguinte (Domingo) às 9h, decorrendo durante todo esse dia até às 20h04”. 

Após as declarações prestadas, o juiz de instrução considerou “estar fortemente indiciada a prática pelos referidos arguidos, em coautoria, de um crime de tráfico de substâncias estupefacientes, bem assim como em razão das circunstâncias apuradas haver perigo de fuga, razão pela qual determinou a prisão preventiva de todos os indiciados”.  

O processo de inquérito seguirá agora os seus “normais termos pelo titular da acção penal”.

Recorde-se que a embarcação de recreio proveniente das Caraíbas entrou na marina da Horta na noite de 29 para 30 de Maio e já estava sinalizada pelas autoridades que, em cumprimento de mandado judicial, levaram a cabo a busca que levou à apreensão da cocaína.

A investigação da PJ que levou à apreensão da droga contou com o apoio do Maritime Analysis and Operations Centre – Norcotics (MAOC-N), com sede em Lisboa, e das autoridades espanholas, francesas, italianas e montenegrinas, tratando de “uma das maiores apreensões na marina da Horta”.