Edit Template

BE diz que governo de Bolieiro foi um desastre

“O governo de Bolieiro caiu porque os resultados são “um desastre no que é essencial”, afirmou António Lima na Terceira.
“Com o governo da coligação do PSD, CDS e PPM aumentou a pobreza, as desigualdades, o abandono escolar precoce, o sub-financiamento do Serviço Regional de Saúde e a dívida da Região”, acrescentou.
“Se o governo de Bolieiro, do PSD, do CDS, do PPM, do CH e da IL era assim tão bom, então porque é que caiu?”, perguntou o coordenador do Bloco nos Açores, para logo a seguir explicar que os antigos parceiros “fugiram porque o resultado desse governo foi um desastre”.
“Bolieiro dizia que ia reduzir a pobreza nos Açores, e aumentar rendimentos”, mas “a pobreza aumentou nos Açores e temos a maior proporção de população sem abrigo do país”, “Bolieiro dizia que o abandono escolar precoce ia descer”, mas aumentou e “está 20 pontos acima da média nacional”, apontou o coordenador do Bloco.
Sobre a Saúde, António Lima salientou que “a falta de recursos, a dívida e o sub-financiamento, já ultrapassaram os piores tempos dos governos do PS”.
“Bolieiro e a direita diziam que iam baixar a dívida pública regional”, mas “afinal ela nunca aumentou tanto em tão pouco tempo: mais de 600 milhões de euros em dois anos”.
A precariedade na administração pública manteve-se e a desigualdade entre ricos e pobres aumentou, fazendo dos Açores a região mais desigual do país.
António Lima lembrou também que Bolieiro prometeu “desgovernamentalizar a sociedade”, mas afinal colocou “boys partidários cada lugar possível e imaginário na administração pública”.
“O Chega, que tem por aí uns cartazes a dizer que quer acabar com os tachos, tratou muito bem os tachos de Bolieiro”, apontou António Lima.
A alternativa que o Bloco apresenta é “ter a coragem de enfrentar os grandes interesses que dominam os Açores”, como o negócio que o Bloco denunciou “que garantiu 22 milhões de euros de rendas excessivas ao grupo Bensaude através da venda de combustível à EDA”.
O Bloco quer integrar nos quadros todos os precários do Serviço Regional de Saúde e do sector da Educação para “dar dignidade a quem garante que a saúde e a escola funcionam”.
Criar um plano de combate ao abandono escolar precoce, tornar o ensino superior gratuito para os jovens dos Açores, garantir o financiamento adequada ao Serviço Regional de Saúde e implementar novas políticas de fixação de profissionais de saúde são outras das propostas fortes que o Bloco apresenta nestas eleições. Alexandra Manes, primeira candidata do Bloco pela Terceira, salienta que “o Bloco tem dado provas da importância da sua presença no parlamento açoriano” e deu exemplo de duas vitórias na última legislatura: a redução do pagamento de juros da Região à EDA que poupou milhões de euros aos contribuintes e os trinta postos de trabalho que ficaram a salvo depois da ameaça de despedimento pela Câmara Municipal da Praia da Vitória.
“Temos liderado a oposição”, assinalou Alexandra Manes, num jantar de apresentação da candidatura pela ilha Terceira.

Edit Template
Notícias Recentes
União Desportiva do Nordeste comemora os 50 anos do clube
2ª edição da formação “Cidadania Digital: Riscos e Oportunidades da Internet”
Bolieiro manifesta oposição à criação de uma taxa turística regional
Actividade ambulatória de Pediatria regressa amanhã ao HDES
Há 5 municípiosnos Açores com mais procura de casas para viver no campo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores